Macapá / AP - sexta-feira, 06 de dezembro de 2019

Mentiras e verdades sobre terapias antienvelhecimento.

Você já pensou em fazer uso de alguma terapia para não envelhecer?



Se a resposta for positiva, não se culpe! É comum, não só entre nós brasileiros, a busca por atalhos para tornar-mos mais bonitos e longevos. De preferência, com práticas de menor esforço.

Aliás, a história mostra que esta procura por terapias antienvelhecimento vem desde o antigo testamento. Súditos do rei David procuraram, pelos quatro cantos de Israel, a mais bela jovem e virgem para que ela oferecesse "sopros de juventude" ao rei já em seu leito de morte.

Assim como, a história também deixou claro que, sempre que um produto desperta demanda em excesso, aparecerá alguém para vendê-lo. E não foram poucas as terapias antienvelhecimento oferecidas ao longo dos anos. De alquimia a testículos de cães, sempre houve algo que prometeu longevidade com algumas doses diárias.

Hoje, não faltam terapias antienvelhecimento oferecidas em farmácias, feiras, supermercados, consultórios e, claro, na internet. Reposições de hormônio do crescimento, análogos da testosterona, DHEA, melatonia, terapias com retrição calórica, Ginkgo biloba, ômega 3, gerovital GH3, antioxidantes... São tantas opções que, de fato, deixam qualquer um em dúvida por onde começar. 

Entretanto, todas estas terapias têm uma coisa em comum: a falta de evidência científica de benefício em humanos. E não foram poucos os estudos realizados até o momento. Apesar de muitos, é bem verdade, com amostras insuficientes e desenhos metodológicos pouco convincentes.

A grande preocupação de todos nós, entratanto, está nos efeitos pouco desejáveis que quase todas estas terapias podem trazer a longo prazo, tais como aumento de fraqueza, risco de quedas, sangramentos, AVCs, depressão, tumores hepáticos, câncer de próstata e dislipidemia.

Então, não há o que ser feito?

Claro que sim! A melhor terapia antienvelhecimento é conhecida por quase todos. Sem jeitinho ou fómulas mágicas. Mas com um bom controle das doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade e dislipidemia, atividade física regular, dieta adequada, cessaçao do tabagismo, sono reparador, saúde sexual, mental e do humor.

Como se pode perceber, a terapia antienvelhecimento existe e é bastante eficaz. Mas dá um pouco mais de trabalho do que um tratamento medicamentoso milagroso.

___________________________________________________________

Alessandro Nunes